Câmara realiza três encontros com especialistas sobre a APA Serra de Timóteo

por comunicacao — publicado 24/02/2015 17h32, última modificação 17/02/2016 17h10
24/02/2015

Tiveram início na tarde dessa terça-feira (24), às 14h, no plenário da Câmara de Timóteo, as discussões sobre o projeto de lei 3848 que dispõe sobre a criação da Área de Proteção Ambiental (APA) Serra de Timóteo. Devido a importância do assunto a mesa diretora constituiu comissão de estudo composta pelos vereadores Fábio Campos - Binha, José de Souza -Natinho, Wladimir de Lana -Careca e Adriano Alvarenga para discutir o PL. Estiveram presentes técnicos, Conselho, Entidades de Classe, Ambientalista, Entidades Ambientais. Pelos depoimentos, o entendimento é que é possível sim ter atividade industrial  no local desde que haja um estudo da área e suas características, regras e fiscalização.

A APA Serra do Timóteo foi criada em 2003, e possui extensão de aproximadamente 44 quilômetros quadrados, abrangendo as regionais Leste, Sul, Sudoeste, Norte, Sudeste e Nordeste. Ter espaço para a indústria e gerar emprego e renda são os principais motivos da diminuição da área para 31  quilômetros quadrados, na proposta atual da prefeitura, apresentado pelo secretário municipal de Planejamento, Washington Borges. Desses 13 quilômetros, 9 são de área já urbanizada e os outros 4 quilômetros quadrados são de área passíveis de urbanização. Segundo Borges, Timóteo é um dos municípios com menor terreno de distrito industrial no Vale do Aço, atrás de Coronel Fabriciano e Santana do Paraíso. A previsão do Executivo é que o novo distrito industrial com uma área de 50 há gere 1.500 empregos com salários de, em média, R$ 1.500,00.

A questão que preocupa os vereadores é como desenvolver a cidade sem agredir o meio ambiente. A discussão teve como objetivo colher o maior número de informações de funcionários do setor do meio ambiente da prefeitura e ambientalistas, conhecedores do assunto. Os funcionários da prefeitura também apresentaram esse receio. Para eles é possível indústria e moradia no local, mas o fundamental é saber onde pode e onde não pode urbanizar. Saber por exemplo onde tem nascente, onde tem pastagem seca. Para isso indicam ser necessário um zoneamento e um plano de manejo na área, dessa forma será possível saber qual área tem potencial para que tipo de atividade (turismo, industria, moradia) e qual área não pode sofrer intervenção (proteção de nascentes). Hoje a APA Serra de Timóteo não possui plano de manejo.

Dando prosseguimento ao debate, mais dois encontros acontecerão nos dias 25 e 26 de fevereiro também às 14h, no plenário da Casa. Uma outra audiência pública foi aprovada pelos vereadores para estender a discussão com a comunidade, principalmente com aquelas que residem próximo ao local.

Adicionar Comentário

Você pode adicionar um comentário preenchendo o formulário a seguir. Campo de texto simples. Endereços web e e-mail são transformados em links clicáveis.