DIA NACIONAL DA IMUNIZAÇÃO

por Leonardo Torrezani publicado 09/06/2021 09h50, última modificação 09/06/2021 10h12
Câmara celebra parte de seus servidores imunizados

Nessa quarta-feira, 9 de junho, comemora-se o Dia Nacional da Imunização, assunto sempre relevante, pois atinge o bem mais precioso do ser humano: a saúde. A intenção é informar, chamar a atenção sobre a necessidade de se vacinar. Atualmente, com a luta mundial contra a pandemia da Covid-19 essa data fica ainda mais em pauta. 

Na Câmara de Timóteo dos 122 servidores ativos, 32 contraíram a Covid-19. Entre os vereadores o número de infectados pelo coronavírus atingiu mais da metade (60%): dos 15 parlamentares, nove foram acometidos pela doença e um foi a óbito. Entendendo a importância da imunização, os servidores e vereadores que se encaixaram nos grupos de prioridade, até então, optaram pela imunização. 

 


Rita de Cássia - Gerente de RH

A gerente do setor de RH da Câmara, Rita de Cássia Vaz, que tem 58 anos e toma quatro medicamentos de uso contínuo, pôde receber a primeira dose da vacina contra o coronavírus e já tem a data da segunda dose agendada.

“Foi uma satisfação muito grande, me senti mais segura e aliviada com esse medo todo, me deu um pouco de tranquilidade e digo pra todo mundo que tiver a oportunidade, que tome”, disse Rita. A servidora contou ainda que a família passou por momentos difíceis quando a irmã ficou internada com Covid-19. “Ainda hoje ela faz fisioterapia para restabelecer os pulmões”, acrescentou. 

 

 

André Luiz - Chefe de gabinete

Outro servidor que também foi imunizado com a primeira dose é o chefe de gabinete, André Luiz Diniz, de 37 anos. Ele recebeu a vacina por se encaixar no grupo de comorbidades (diabetes e obesidade). André relatou que também passou por momentos tristes na família.

“No mês de março de 2021 perdi uma pessoa muito querida em decorrência da Covid que mexeu muito com minha família. Quando recebi a notícia que eu seria vacinado eu fiquei muito feliz porque a vacina é a única forma da gente voltar ao normal. Fiquei muito grato de ter sido imunizado e também por não ter tido a doença”, contou.

Graças à vacinação em massa, doenças como poliomielite, rubéola, tétano e coqueluche deixaram de ser um problema de saúde pública no Brasil. As vacinas não só protegem as pessoas que as recebem, mas também as pessoas da comunidade que não podem ser vacinadas. A vacinação é uma responsabilidade individual, mas tem grande impacto coletivo. Se você se vacina, está se protegendo e também protegendo as pessoas que não estão vacinadas.


Como as vacinas funcionam

A imunização por meio das vacinas permitem a prevenção, o controle e a eliminação de doenças graves - e muitas vezes mortais - estimulando as defesas naturais do corpo.
Antes de serem disponibilizadas para a população, as vacinas passam por diversas fases de avaliação: vão do desenvolvimento até a produção e aplicação, quando já foram devidamente submetidas à avaliação e aprovação pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA). Por isso, as vacinas são seguras.


Adicionar Comentário

Você pode adicionar um comentário preenchendo o formulário a seguir. Campo de texto simples. Endereços web e e-mail são transformados em links clicáveis.